quinta-feira, 27 de maio de 2010

Cadê meu café?


 seu café pode ficar bem mais gostoso, não acha?

café com arte





Estes desenhos fazem parte da série de canecas com ilustrações assinadas por mim. Segunda-feira as peças saem do "forno" e em breve estarão a venda aqui.
Uma delas irá para sorteio, prepare-se! 

segunda-feira, 24 de maio de 2010

uma pausa para um café



Desculpem a falta de tempo. Em breve volto a postar novos trabalhos aqui.
beijos e queijos!

domingo, 9 de maio de 2010

e aí estou

pintura s/ madeira, 180x80 cm, 2008 [detalhe]

Agora o braço é uma linha, um traço, um rastro espelhado e brilhante. E todas as figuras são assim: desenhos de luz, agrupamentos de pontos, de partículas, um quadro de impulsos, um processamento de sinais. E assim – dizem – recontam a vida.
Agora retiram de mim a cobertura da carne, escorrem todo o sangue, afinam os ossos em fios luminosos e aí estou, pelo salão, pelas casas, pelas cidades, parecida comigo. Um rascunho. Um forma nebulosa, feita de luz e sombra. Como uma estrela.

Elis Regina

sábado, 8 de maio de 2010

Inventário



  




Chaleiras, guarda-chuvas, bicicletas, sapatos, cartas, cadeiras... temas banais, fragmentos do cotidiano, um tipo de inventário particular onde eu catalogava minhas impressões sobre a vida a partir dos seus aspectos mais simples.
Nesta série usei colagem, pintura e monotipia. Eram uma espécie de diário, onde "escrevia" minhas memórias, minhas impressões, pensamentos soltos e difusos. Eram apenas devaneios feitos com tintas e papeis.
Estes e outros trabalhos fizeram parte da exposição "Inventário" em setembro de 2006  numa pequena galeria chamada Usina das Artes que ficava na CLS 113 Sul, em Brasília. 

faz tempo


quarta-feira, 5 de maio de 2010

Paz e amor, bicho!


Este cartaz foi produzido em serigrafia sobre papel, em 1986, por ocasião das comemorações do ano internacional da paz. O autor é o professor do Instituto de Arte da UNB (IDA), Nanche Las-Casas. O trabalho de Nanche e de outros 40  artistas que marcaram a trajetória da capital, podem ser vistos na exposição Arquivo Brasília: cidade imaginário que abre amanhã, às 19h no Espaço Cultural Marcantonio Vilaça, no prédio do TCU.
A entrada é franca e a visita é uma aula sobre a história de Brasília pelo viés da arte. Vale muito a pena conferir.

Visitação: de 7 de maio a 3 de julho de 2010
Lançamento do catálogo e visita orientada: 29 de maio, às 16h
Espaço Cultural Marcantonio Vilaça – Edifício Sede do Tribunal de Contas da União
(SAF Sul Quadra 4 lote 1)
De segunda a sexta-feira das 10h às 19h. Aos sábados, das 14h às 18h
espacocultural@tcu.gov.br
tel: (61) 3316-5221 / (61) 3316-5036

terça-feira, 4 de maio de 2010

e por falar em cinema


Projetado por Oscar Niemeyer e inaugurado em 1960, o Cine Brasília é Patrimônio Cultural e Turístico do Distrito Federal. No entanto, hoje representa o descaso do Governo do Distrito Federal com a cultura e com o patrimônio da cidade.
O cenário atual é de chorar: carpetes detonados, infiltrações, poltronas quebradas, ar condicionado que não funciona e até mesmo pulgas. A ultima reforma foi em 1976. A reforma prometida pelo atual governo esta engavetada desde o ano passado. Com tanta corrupção, duvido que seja prioridade do poder público da Capital.
Cabe a nós reinvidicarmos estas mudanças!
Na minha opinião, uma das formas de lutar contra o abandono é frequentá-lo, mesmo sabendo do desconforto que é lá dentro. Enquanto tiver publico, ele continuará funcionando. Além disso, outras formas de protestos são validas, como fizeram os publicitários Fernando Lopes e Lucas Zaiden. Eles criaram a campanha que a agência Fields lançou em 2009 fazendo alusão com o título de uma famosa produção cinematográfica (foto acima).
A internet é uma aliada nestas horas, vamos colocar a boca no trombone, gente. Ano de eleição e tals... será que algum candidato tem planos para a revitalização dos espaços de cultura em Brasília? Boa pergunta.

Filmes Curtíssimos


7, 8 e 9 de maio no Cine Brasília


Brasília se prepara para receber a 3ª edição Nacional e 12ª Internacional do Festival Internacional de Filmes Curtíssimos. Ao todo, 420 produções foram inscritas para a mostra que acontece dias 7, 8 e 9 de maio no Cine Brasília. O Festival acontece simultaneamente em mais de 100 cidades de 20 países e tem como característica trabalhos com, no máximo, três minutos de duração (exceto título e créditos).
A curadoria da mostra nacional, com sede em Brasília, selecionou 48 trabalhos. Além de obras de todo o país, foram inscritos trabalhos do Canadá, Colômbia e França, destacando a consolidação da mostra.
Também compõem o Festival as Mostras “Mostra-te Brasília”, “Projeto Nome” e “Palavras de Mulheres”.